Criadores de cobras

Quando falamos em cobras, muitas pessoas acabam se arrepiando somente em tocar no assunto, isso acontece porque segundo cientistas as cobras são um dos animais mais temidos pelos seres humanos, isso se deve principalmente ao desenho de seu corpo e também a sua forma de ataque que na maioria das vezes é de forma traiçoeira. Porém existem muitos empresários investindo pesado no ramo de criação de cobras, ramo esse que está em pleno desenvolvimento e que vem causando muitas preocupações ao Ibama.

Criação de cobras – Regularização

Devido a muitos acidentes com empresas especializadas na criação de cobras, o Ibama resolveu emitir uma pequena regularização na qual todos os empresários tem que se adequar, caso contrário terão suas empresas fechadas por não cumprir a lei. Primeiramente a criação de cobras só pode acontecer em regiões rurais, regiões urbanas não podem receber esse tipo de empresa, pois oferece muito risco a população, pois qualquer falha na segurança das cobras pode fazer com que a mesma escape e cause algum dano a pessoas próximas a essa empresa.

As empresas em questão também precisam ter a licença para a criação de cobras, essa licença pode ser adquirida junto ao Ibama, porém antes de ser liberado os profissionais seguem até o local onde será instalado o criadouro, nesse local é feito uma vistoria para saber se realmente preenche os pré-requisitos impostos pela instituição. Os animais utilizados para a criação não podem ser retirados da natureza, ou seja, deve ser adquirido animais que também já vivem em cativeiro ou que são fruto de criação também em cativeiro.

Mais algumas informações

Esse tipo de criação tem várias finalidades, a mais comum é manter um grande número de serpentes para que depois seja feito a extração de seu veneno, sendo direcionado principalmente para fazer vacinas ou para fazer novos medicamentos. Mas também existem vários outros segmentos no qual esse comércio se encaixa, mas em ambos os casos é preciso levar em consideração os pré-requisitos impostos pelo Ibama.

Comments
  1. Responder
  2. Responder
  3. magno
    Responder
  4. Responder
  5. ginelli
    Responder

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *