Briga de Cobras

Toda vez que pensamos em brigas, já é um ato de selvageria que nos vem a mente, e mesmo as oficiais, não são tratadas como brigas, mas sim lutas, pelo regimento do esporte e são envolvidas em regras e respeito ao oponente.

Briga é uma atitude desumana e instintiva, que leva ao trato desigual e sem uma finalidade que a defina e a justifique.

Todas as brigas de que lembrardes verá que não passaram de idiotices e selvageria.

Nesta classificação de selvageria, a briga de cobras se enquadra perfeitamente e por não sabermos sua língua nem linguagem não temos como saber se foi apenas uma briga de espécies, ou uma luta justa por algum tipo de ameaça ou outra forma de submissão do oponente.

Com mordidas que devem doer barbaridades, picadas, que pretendem levar seu oponente ao sofrimento e submissão, e muitas enroladas e apertos com suas centenas de músculos, a briga entre cobras tomam sinais de barbárie e são terríveis para quem assiste e deve ser doloroso para quem participa.

Briga de cobras, pode ser motivada, por necessidade de auto-afirmação, que é um problema do próprio homem também, que se vê acuada com a chegada de outra espécie nos seus limites territoriais, e a solução talvez seja o enfrentamento.

Pode ser motivada a briga de cobras, por causa de alimento e sobrevivência. E esta é uma pratica conhecida até mesmo na humanidade, que em caso de catástrofes e guerras, são capazes de atrocidades contras seus semelhantes, por causa da fome e de um pouco de alimento.

Pode ter um cunho “romântico” também, por causa do acasalamento os animais brigam pela fêmea para demonstrar sua virilidade e “macheza” e agrada em muito a fêmea que se sente a “poderosa” e o resultado final define o vencedor e a espécie a se acasalar.

Independente dos motivos e das atitudes destes répteis, estas brigas sempre existiram e sempre existirá, e no mundo humano também, a diferença, deve ser a traição que nós humanos cometemos, e que já não ocorre nas brigas entre esses animais.

Com motivo ou não bem definido, as brigas sempre farão parte do instinto tanto animal como humano, e não temos as vezes como controlar.

Comments
  1. ivan
    Responder
  2. ivan
    Responder

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *